Telefone: (065) 3361 - 1964

   

His­tó­ri­co

No ano de 1995 foi cri­a­do o Con­se­lho de Edu­ca­ção Esco­lar Indí­ge­na – CEI/MT, que se cons­ti­tuiu num espa­ço de dis­cus­são, refle­xão e luta pela Edu­ca­ção Esco­lar Indí­ge­na. A cri­a­ção do CEI/MT for­ta­le­ceu em Mato Gros­so o movi­men­to dos pro­fes­so­res indí­ge­nas que pas­sa­ram a rei­vin­di­car a for­ma­ção con­ti­nu­a­da por meio de cur­sos espe­cí­fi­cos e dife­ren­ci­a­dos.

Em 1997, após a con­fe­rên­cia Ame­rín­dia, foi cri­a­do pelo Gover­no do Esta­do a Comis­são Inte­rins­ti­tu­ci­o­nal e Pari­tá­ria que ini­ci­ou as dis­cus­sões sobre a for­ma­ção de pro­fes­so­res indí­ge­nas em nível supe­ri­or. A Comis­são era cons­ti­tuí­da por repre­sen­tan­tes da SEDUC/MT, FUNAI, CEE/MT, CEI/MT, UFMT, UNE­MAT, CAI­EMT e repre­sen­tan­tes indí­ge­nas.

No ano de 1998, a Comis­são ela­bo­rou o ante­pro­je­to para for­ma­ção em nível supe­ri­or, esta­be­le­cen­do as dire­tri­zes gerais da pro­pos­ta.

O pro­je­to foi con­cluí­do pela Comis­são no final de 1999, com a entre­ga ofi­ci­al do docu­men­to ao Gover­no do Esta­do de Mato Gros­so. O ano de 2000 foi dedi­ca­do às nego­ci­a­ções polí­ti­cas e finan­cei­ras, com a assi­na­tu­ra dos con­vê­ni­os entre as ins­ti­tui­ções par­cei­ras e a sua apro­va­ção nos cole­gi­a­dos da Uni­ver­si­da­de do Esta­do de Mato Gros­so.

Em 2001 teve iní­cio ofi­ci­al­men­te o Pro­je­to de For­ma­ção de Pro­fes­so­res Indí­ge­nas – 3º Grau Indí­ge­na, com a rea­li­za­ção do Ves­ti­bu­lar e o iní­cio das aulas no mês de julho, para a 1ª Tur­ma dos Cur­sos de Licen­ci­a­tu­ra Espe­cí­fi­ca para a For­ma­ção de Pro­fes­so­res Indí­ge­nas. Em janei­ro de 2005 tive­ram iní­cio as aulas para a 2ª Tur­ma dos cur­sos.

No perío­do com­pre­en­di­do entre 2002 e 2004 foi ofer­ta­da uma espe­ci­a­li­za­ção Lato Sen­su em Edu­ca­ção Esco­lar Indí­ge­na, que con­tou com a par­ti­ci­pa­ção de inte­res­sa­dos de dife­ren­tes ins­ti­tui­ções que atu­am na ques­tão indí­ge­na, além de pro­fes­so­res indí­ge­nas já gra­du­a­dos. Atu­al­men­te pre­vê-se a aber­tu­ra de uma nova tur­ma do refe­ri­do cur­so. Esta nova tur­ma ofer­ta­rá 50 vagas espe­cí­fi­cas para pro­fes­so­res indí­ge­nas egres­sos da UNE­MAT e de outras IES.

Em junho de 2006, a 1ª Tur­ma con­cluiu as ati­vi­da­des do cur­so, sen­do rea­li­za­da a Cola­ção de Grau e a entre­ga dos diplo­mas de licen­ci­a­dos a 186 aca­dê­mi­cos indí­ge­nas.

Em agos­to de 2007, con­si­de­ran­do a neces­si­da­de de for­ta­le­cer as ações desen­vol­vi­das pela UNE­MAT em prol da Edu­ca­ção Supe­ri­or indí­ge­na em Mato Gros­so, o Pro­je­to 3º Grau Indí­ge­na foi trans­for­ma­do no Pro­gra­ma de Edu­ca­ção Supe­ri­or Indí­ge­na Inter­cul­tu­ral – PRO­E­SI. Em janei­ro de 2008 ini­ci­a­ram as aulas para a 3ª Tur­ma dos Cur­sos de Licen­ci­a­tu­ra.

Duran­te o II Con­gres­so Uni­ver­si­tá­rio da UNE­MAT, rea­li­za­do em dezem­bro de 2008, foi apro­va­da a cri­a­ção da Facul­da­de Indí­ge­na Inter­cul­tu­ral, incor­po­ran­do as ações rela­ci­o­na­das a Edu­ca­ção Supe­ri­or Indí­ge­na.

A Facul­da­de tem por obje­ti­vo a exe­cu­ção dos Cur­sos de Licen­ci­a­tu­ras Ple­nas e de Bacha­re­la­do, com vis­tas à for­ma­ção em ser­vi­ço e con­ti­nu­a­da de pro­fes­so­res e pro­fis­si­o­nais indí­ge­nas; aber­tu­ra de vagas nos cur­sos regu­la­res de Pós-Gra­du­a­ção Lato Sen­su e Stric­to Sen­su; cur­sos de for­ma­ção con­ti­nu­a­da, acom­pa­nha­men­to de aca­dê­mi­cos indí­ge­nas nos cur­sos de gra­du­a­ção e admi­nis­tra­ção do Museu Indí­ge­na a ser implan­ta­do.

Em julho de 2009, a 2ª Tur­ma con­cluiu as ati­vi­da­des do cur­so, rea­li­zan­do então a Cola­ção de Grau e a entre­ga dos diplo­mas a mais 90 Pro­fes­so­res Indí­ge­nas.